Páginas

30 de mai de 2011

Sabonetes Phebo - testando, testando


Sabonetes Phebo fazem parte da minha vida há um tempão. Além de serem um clássico do banho paraense, vim morar perto da fábrica da Phebo aos sete anos, e a partir daí era um tal de sentir aquele cheiro de sabonete que entrava pela janela todas as tardes: uma delícia.

No começo eram só uns três ou quatro perfumes, agora chegam a oito! Depois de ter voltado a viver no mesmo endereço do meu querido e tão charmoso bairro do Reduto, sempre visito a lojinha da Phebo. Agora a marca pertence à Granado, a "Pharmácia" da família real brasileira, mas toda a linha da Phebo foi mantida, e a fábrica da Phebo continua sendo em Belém, no mesmo lugar de antes (e eu continuo sentindo cheirinho de sabonete!). Irresistível fazer um teste com todos os perfumes, inclusive comparando novos e velhos. 



Todos os sabonetes da linha são glicerinados, não agridem peles sensíveis, mas não são muito hidratantes, se é o que você procura (ainda assim são melhores que Lux). Por serem glicerinados não duram tanto quanto um sabonetão dos brancos, mas valem a pena. Custam por volta de R$1,90. Testei todas as fragrâncias, e resenho-as resumidamente na ordem em que as testei.

1) Frescor da manhã: o azul. A fragrância puxa para o cítrico, mas achei um pouco enjoadinha. Parece uma mistura de floral com cítrico que não deu muito certo. Não aprovei e não compro de novo.

2) Flores da primavera: embalagem pink. Floral forte, porém delicioso, nada enjoativo. As notas florais são de cravo, jasmim e ylang-ylang, misturadas com eucalipto, manjericão e outras.

3) Amazonian: o verde. Cheiro marcante de selva, perfeito. Eucalipto bem presente.

4) Toque de Lavanda: o lilás. Lavanda clássico, com o estilo refrescante Phebo.

5) Naturelle: o laranjinha. É quase amadeirado, mas é tão leve que é diferente de todo amadeirado que você já viu. Suavemente patchouli.

6) Raiz do Oriente: embalagem vermelha. Surpreendente perfume exótico cítrico. Delícia. Notas de limão, gengibre e verbena.

7) Odor de Rosas: o preto, o inescapável, o mais amado e o mais singular dos sabonetes. Nenhum sabonete chega perto de se igualar a esta maravilha de fragrância. A embalagem amarela e vermelha com seu cheiroso interior escuro (preto no início, roxo-açaí quando está ficando mais fininho) chamam os sentidos para os banhos mais gostosos da sua vida. Incomparável clássico! [Nas notas de fundo, patchouli, cedro, âmbar garantem a singularidade do produto.]

8) Brisa Tropical: o verde claro. Cheirinho de ervas, como alecrim, e um floral com cítrico leve e agradável, com notas de laranja, ylang-ylang (adoro!), muguet e até cassis. Recomendo!


Em resumo, os clássicos Odor de Rosas, Amazonian, Naturelle e Toque de Lavanda continuam bons. Na verdade acho os três primeiros excelentes, só o Toque de Lavanda é um pouco mais fraco, pois outras perfumarias tratam muito bem da lavanda, então a concorrência prejudica o desempenho. L'Occitane, por exemplo, é mestra com lavanda, por razões óbvias. E é com os perfumes novos que a Phebo prova que continua sendo eficiente sem perder seu estilo. Raiz do Oriente e Flores da Primavera são ótimos, Brisa Tropical é bom. Só o Frescor da Manhã eu decididamente não gostei. É uma média muito boa, hein? ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

tá com você!